"Seguidores são como mariposas voando em volta da luz. Quando a luz apaga não sabem o que fazer. Por isso quem segue sempre se perde."

Caminhos a Seguir:

Fascismo Ou Liberdade?

Parte 1

Traduzido por Janglada - janglada@openlink.com.br

Colaboração Carlos Airton

   

David Icke expõe sobre:

Alice no País das Maravilhas

&

o Desastre no World Trade Center

 

4/9/2002 RICK MARTIN

(rm888@mindspring.com)

 

Já completa um ano, desde a nossa edição do evento trágico do dia 11 de Setembro, com denominação honorífica: O Dia em que a Terra Parou - A Nova Ordem Mundial através do “Terrorismo”. Nesse primeiro aniversário, desse dia momentoso, foi mister dialogar com David Icke (pronuncia-se “ike” como em bike) - o autor de dez dos mais procurados livros já discorridos, que tem excursionado pelo mundo discursando para uma platéia cada vez mais ampla de pessoas que estão despertando para o que realmente é real.

Esse dínamo - que muitos têm rotulado de “o mais controverso orador do mundo” - justamente terminou de discorrer, uma obra esplêndida, egrégia, sobre o incidente do dia 11 de Setembro chamado Alice no País das Maravilhas e o Desastre no World Trade Center. Se você pensa que seus conceitos e idéias anteriores já despedaçaram um monte de mentiras no caminho para expor A Verdade, espere até confrontar-se com a incrível realidade deste Grande Quadro, deste Enorme Quebra-Cabeças que David Icke agora compartilha conosco!

Para aqueles de vocês, novos leitores, que não estão familiarizados com David Icke, ele nasceu na Grã-Bretanha, em 1952 em Leicester, Inglaterra, em uma família pobre de classe operária. Por um período, foi um jogador profissional de futebol, e mais tarde um repórter e Âncora nacional de esportes e notícias da emissora BBC, o verdadeiro chamado de David como um pesquisador, escritor, e palestrante do mais alto nível, começou a consolidar-se somente no começo de 1990, quando certas experiências orientadas cruzaram seu caminho. 

Alguns dos mais populares e desafiadores livros já escritos por David Icke incluem:

• A Rebelião dos Robôs 

• Eu Sou Eu, Eu Sou Livre! O Guia dos Robôs para Liberdade 

• …E a Verdade o Libertará

• O Maior Segredo: O Livro Que Mudará O Mundo 

• Crianças da Matriz: Como uma Raça Interdimensional Tem Controlado o Mundo por Milhares de Anos - E Ainda o Faz.

David também tem produzido vários vídeos, incluindo:

• Explanando os Fatos!

• Mudando o Curso dos Eventos

• A Estrada da Liberdade

• A Agenda Reptiliana - Diálogo com o Shaman Zulu, Credo Mutwa 

• Revelações de uma Deusa Mãe - Uma Entrevista com Arizona Wilder  

• Da Prisão Para o Paraíso.

Como é comum ocorrer com David Icke, nossa conversa tomou algumas reviravoltas fascinantes e elucidativas, e enfim, chegou em um lugar que é inspirador, instrutor e promissor. 

No dia 20 de Agosto, eu conversei com David Icke pelo telefone de sua casa na Inglaterra. A conversa começou com uma indagação de David, que se encontrava do outro lado do oceano:

 

Icke: O que está ocorrendo por  aí, no momento, em termos de desenvolvimentos?

Martin: Em termos de desenvolvimentos políticos? 

Icke: Sim, desenvolvimentos em termos de expor “o jogo”? 

Martin: Nós estamos pressionando com o máximo de força que podemos, como você sabe. Isto parece como se fôssemos uma voz solitária na vastidão. Existem algumas pessoas na Internet, logicamente, pressionando realmente com muita força, mas quando eu olho para a mídia de massa, e quando olho para todas as diferentes fontes de notícias, à exceção de Michael Ruppert, e de apenas um punhado de outros jornalistas que estão fazendo algumas coisas, tudo parece como se estivéssemos na hora mais sombria antes do alvorecer. 

Icke: Sim, eu acho que isso é, basicamente, o que estamos percebendo. 

Eu tenho estado investigando e juntando as peças do cenário do dia 11 de Setembro, desde que o incidente ocorreu, contudo, eu não fiz nada nos primeiros poucos meses, porque eu queria ver como as coisas sucederiam. Então, eu realmente comecei a concentrar-me em encaixar todas as peças. Basicamente, uma criança com 3 anos de idade, com duas células cerebrais trabalhando uníssonas, poderia pegar a “história oficial” da tragédia do dia 11 de Setembro e colocá-la de lado, pois tal história não se sustenta em ponto algum. Se eu assumir que a assertiva A é verdade, então, a assertiva B tem que ser uma mentira. [Risos]

Martin: [Sorrindo] 

Icke: Se a assertiva Z é verdade, então, A & B têm que ser ambas mentiras. E isso é o que você descobre nesses casos.

O dia 11 de Setembro foi o arquétipo mais clássico do que eu tenho intitulado de “problema - reação - solução” com o qual eu já me deparei. E ele foi o mais óbvio, e o mais transparente, e eles cometeram tantos erros fundamentais. 

Mas eles confiam na acepção de que se alguém ouvir uma declaração do dia 11 de Setembro não fará uma ligação com um outro informe do dia 16 de Setembro, e com um outro no dia 4 de Outubro. Mas, quando você o faz - e isso é o que eu tenho feito nesse livro, eu tenho colocado tais pedaços, aparentemente sem nenhuma ligação, coesos - você se dá conta de que tudo não passou de uma óbvia armação. E o foco e o centro do planejamento desta tragédia, NÃO estava dentro de uma caverna no Afeganistão; estava dentro das fronteiras dos Estados Unidos, conclusão esta muito óbvia por sinal, quando você a analisa. E existe um amplo acobertamento transcorrendo. 

Eu tenho percebido através de minhas próprias pesquisas como isto é feito, ou o modo único como isto é realizado, porque, logicamente, uma vez que os eventos terríveis tinham acontecido, nós fomos providos com uma “história oficial”, e tal “história oficial” estava esperando para ser comunicada antes que os eventos acontecessem. E, naquele ponto, o FBI ou o Pentágono ou a Casa Branca, lhe provendo com a “história oficial”, diz que isso não é um problema para as “investigações em andamento”. Mas, o que se torna um problema para eles é que mais tarde você começa a questionar a “história oficial”; então eles dizem: “Nós não podemos responder tal pergunta por causa das 'investigações em andamento'.”

Martin: [Regozijando] 

Icke: Então, o que está acontecendo em minha pesquisa nesse livro, Rick, ao invés de apenas colher noticias de jornal, eu me voltei para o NORAD, a operação militar que deveria defender o espaço aéreo da América. E isso não foi feito naquele dia. O NORAD faz isto em todos os outros dias; Porém não o fez no dia 11 de Setembro.

Eu também me voltei para as companhias de aviação American Airlines e United Airlines, para a segurança dos aeroportos, e para todas essas fontes do que aconteceu naquele dia.

E cada pessoa me dizia: “Nós não podemos falar com você porque nos disseram para passar as perguntas para o FBI.” 

E quando eu indaguei uma simples pergunta para as Companhias United Airlines e American Airlines: “Você poderia me confirmar que os sujeitos apontados como seqüestradores passaram pelos seus procedimentos normais de verificação (check-in)?” 

É uma pergunta simples: Sim ou não! Você é um profissional de uma companhia de aviação! 

A resposta é: “Não podemos responder isso; pergunte ao FBI.” 

Então, isso é o que acontece. Assim, você procura o FBI - o que eu fiz. E os contatei e lhes enviei quase 50 perguntas sobre a “história oficial”. Conforme me foi dito por um sujeito do FBI, eu remeti as perguntas para um homem chamado Rex Tomb do FBI. 

Eu obtive uma resposta de algum departamento do governo dizendo: “tenho algumas noticias desapontadoras....” 

“Bem,” Eu pensei, “não é realmente desapontador, porque é óbvio que isso é o que você dirá.”

“Nós não podemos responder nenhuma das suas perguntas por causa das investigações em andamento. Entretanto, nos anos vindouros '- prestem atenção nisso -' você será capaz de conseguir examinar os arquivos através da Lei de Liberdade de Informação.” 

Martin: [Regojizando] 

Icke: O que, é claro, não é verdade, porque se eles disserem que as informações estão relacionadas com a “segurança nacional”, então os documentos podem ser retidos. 

Portanto, isso é o que eles têm feito. Eles têm alardeado a “história oficial” que almejam que o público acredite, e então, proíbem qualquer um, exceto o FBI, de responder questões sobre a “história oficial”. 

E, o FBI diz: “Nós não podemos responder por causa das investigações em andamento.”

E é assim que eles nos dão a “história oficial”, e então põem obstáculos quando você tenta questionar as claras irregularidades e contradições que existem nela.

Martin: De forma interessante, os leitores da SPECTRUM terão algum pano de fundo no assunto o qual veio à tona no mês anterior dessa entrevista, que contém a descrição inteira da linha de tempo de Michael Ruppert para o dia 11 de Setembro. Esse cenário terá sido estabelecido, então estou convicto que os nossos leitores, apreciarão as informações que advém dessa entrevista. 

Icke: O que eu tenho feito é colocado o 11 de Setembro em um contexto maior. Eu tenho contemplado o pano de fundo, por exemplo, da família Bush, de Dick Cheney, de Powell, de Rumsfeld, e de todos os sujeitos que têm orquestrado a mentira oficial do dia 11 de Setembro. E então, mostrado que até mesmo antes daqueles aviões colidirem nos prédios, o pano de fundo destes sujeitos indicaria, fortemente, que todos eles sofrem da doença genética comumente conhecida como “mentir por entre os dentes”. 

E estes são os mesmos sujeitos que têm feito isso por toda as suas vidas, que nos disseram a “história oficial” do dia 11 de Setembro. E também, é claro, o dia 11 de Setembro tem que ser contemplado dentro de um contexto abrangente; 9/11 não é a META, é uma outra tentativa de criar mais um passo a caminho da META, a qual é um estado fascista global controlado centralmente. 

Eles é claro têm usado isso, novamente, tão claramente e transparentemente, para tirar mais liberdades fundamentais e direitos básicos à privacidade, os quais eles nunca teriam conseguido sem o 11 de Setembro. 

Portanto, como eu digo, esse é o mais descarado evento do tipo “problema-reação-solução” que eu já presenciei. Eu diria que, quando você realmente começa a investigar tal fato, realmente não demora muito tempo para você compreender que esse evento não é apenas óbvio e transparente: ele de fato tem sido feito de modo apavorante. Embora não tenha sido bem feito. E o fato de que não tem sido bem feito e ainda assim muitas pessoas acreditam na “história oficial" não é um exemplo de quão bem eles conseguiram fazê-lo, e sim um exemplo de como é simples ludibriar um grande número de pessoas. 

Martin: Exato, o que é realmente uma triste constatação. 

Icke: Sim, mas o que eu desvendei, eu devo dizer: o dia 11 de Setembro tem tido dois efeitos: Sim, ele tem avançado a agenda, a curto prazo; mas também tem sido um despertador para muitas pessoas.

Martin: Eles deram um passo maior do que a perna.

Icke: Eu acho que houve outras coisas que foram tencionadas acontecer naquele dia e não aconteceram. Eu não acho que tudo transcorreu como planejado. Eu acho que eles mesmos se enrascaram. E a única forma deles poderem controlar o fluxo de exposição é conter o tráfego de informações na arena publica que expõe o jogo, e revela o que realmente aconteceu. E esse é o propósito do meu livro. E eu vou realmente fazer isso, uma vez que elas venham à tona. Este livro estará esgotado em pouco tempo. 

E eu o intitulei Alice no País das Maravilhas & O Desastre no World Trade Center porque Alice no País das Maravilhas é uma analogia maravilhosa de, não somente o 11 de Setembro, mas da conspiração em geral. O que você vê, nunca é a realidade de fato. 

É interessante quando você contempla o ritual da Illuminati, e o ritual Satânico, e o simbolismo Satânico e o simbolismo da Illuminati, o qual é o mesmo, basicamente. Por exemplo, para o publico uma pomba é o mesmo que paz. Para a Illuminati, a pomba é o símbolo da deusa deles, que é acerca de controle e dominação, não sobre paz. 

Eu não poderia lhe dar um exemplo melhor do que a Estátua da Liberdade. Para a grande maioria das pessoas no mundo, esse é um símbolo de liberdade, quando na verdade ele é um símbolo da Illuminati, a qual está trabalhando hora após hora para tirar a liberdade de todos. Isto é um simbolismo reverso. 

E eu tenho notado que isso ocorre repetidamente, essa reversão “Alice no País das Maravilhas”, onde o que é, não é, e o que não é, é. Até mesmos nos informes oficiais, quando você os analisa - Eu tenho feito muito disso na pesquisa desse livro - e você descobrirá que quando eles dizem que farão alguma coisa, realmente significa que não farão. E quando eles anunciam que não farão nada, isto significa que eles farão. Tudo é inverso. Tudo é invertido. E é fascinante observar isso. 

E então, basicamente, quando você está contemplando a conspiração, e observando o que estas pessoas dizem, você tem que reverter tudo para entender o que eles estão realmente dizendo.

Por exemplo, você tem os assassinatos cruéis, conforme uma pesquisa realizada pela Universidade de Nova Hampshire, se não me engano, pelo menos 5.000 civis mortos no Afeganistão, em resposta para os 3.000 civis mortos em Nova York, Washington e Filadélfia. E eles chamam a matança de 5.000 civis de Operação Liberdade Duradoura? Ou foi Operação Justiça Duradoura? Seja qual for o nome que você queira chamar, isto tem outra conotação, como diria Orwell. Pois, quando eles chamam alguma coisa de liberdade, isto significa que eles estão retirando-a. E existem muitos exemplos disso nessa história inteira do dia 11 de Setembro. 

Martin: Isto me parece, e na minha discussão recente com Eustace Mullins, conversamos sobre como eles podem perpetuar os controles adicionais que eles almejam estabelecer, como você disse, para o governo fascista, e isto parece como se houvesse muitos duvidando e questionando os eventos que aconteceram, que o que precisa realmente acontecer, para eles, é um outro incidente, um outro incidente maior, ou uma série de incidentes, e então, possivelmente, até mesmo uma boa guerra ou duas, porque fazendo isto as distrações serão tão grandes que as pessoas nem mesmo se recordarão do que aconteceu aqui; eles estarão muito preocupados com o que estiver acontecendo.

Icke: Não existe dúvida de que eles têm eventos maiores planejados. Eu penso comigo mesmo que ao mesmo tempo em que o público tem amplamente acreditado na “história oficial”, a reação publica tem sido menor do que eles esperavam. Eles queriam pressionar muito mais essa Guerra Sobre o Terrorismo, eu estou certo disso, e de forma muito mais rápida. Mas eles estão tendo resistência. 

Eles estão tendo muita resistência nesse país [Inglaterra] - não de Blair, é claro, que é apenas 100% propriedade da Illuminati, mas de pessoas, e de muitos políticos, e das pessoas em geral, contra a invasão do Iraque, onde, pelo menos um milhão de crianças morreram desde 1991 e na Guerra do Golfo, de bombardeios e em decorrência de sanções econômicas.

Portanto, eles, obviamente, têm outros eventos planejados para tentar pressionar a opinião pública a voltar-se para onde eles desejam. E não há dúvida que estes planos estão planejados para advir nas semanas e meses seguinte. 

Mas, como sabe, você tem um idiota na Casa Branca, e as coisas têm que advir através dele. Ele é um homem com muito pouca credibilidade pública - certamente fora da América ele é uma piada - então, ele é um verdadeiro "calcanhar de aquiles” nessa história inteira, especialmente com o pano de fundo que os Bushs têm em ligação com a família de Bin Laden - o qual eu tenho abordado no livro -, e com as informações que você tem. Ele estará muito, muito exposto e aberto, uma vez que a informação sobre ele e o pano de fundo da família dele, em conexão com tudo isso, vier á tona. É por isso que informação é tão importante. Você pode somente fazer julgamentos sobre o que você sabe.

Portanto, se a Illuminati pode manipular o que nós somos permitidos ver, então eles estão nos dando uma quantidade limitada de informações para tomar decisões sobre o que nós acreditamos ou não. E é por isso que eles desesperadamente tentam conter os lobos, para brecar o fluxo de informações que desafiam a  “história oficial”. É por isso que o FBI não responderá indagações. Ele não pode, então não o fará. 

Logo, é por isso que é tão importante que nós consigamos passar tais informações para o domínio público, porque uma vez que isto ocorrer, mudará absolutamente o rumo do jogo, porque as pessoas subitamente terão um espectro maior de informações para fazer um julgamento sobre o que eles acreditam ter acontecido.

No momento, eles estão ouvindo apenas o que o governo diz que aconteceu. Isto não faz sentido, mas eles não têm alternativa, a não ser que absolutamente decidam ir atrás de uma, o que a maioria das pessoas não fará. E é vital que tais informações desmontem a “história oficial” e consiga chegar na arena pública, porque as pessoas estão abertas para elas.

Eu quero dizer, quando eu estive na América desde o 11 de Setembro, muitas pessoas tinham grandes interrogações sobre o que aconteceu, mas eles não irão expressá-las publicamente porque vêm a reação dos outros, uma das quais diz “você não é patriótico” e coisas do tipo.

Este é realmente o momento para as pessoas deixarem isso a parte, porque nós, basicamente, temos uma escolha agora. Ou nós levantamos e saímos da cadeira, e começamos a deixar pra lá o temor do que as outras pessoas pensam, e o medo de conseqüências, e a dizer o que nós acreditamos, e a fazer o que acreditamos ser certo. Ou então, nós explicaremos para os nossos filhos, em alguns anos, porque estamos vivendo em um estado fascista.

“O que você estava fazendo, papai, quando o estado fascista surgiu?”  

“Oh, bem, na verdade, eu estava assistindo a Roda da Fortuna, filho.” 

Ou, “Aquele Game Show estava mesmo muito divertido naquela noite.”

Nós, estamos realmente em uma encruzilhada. E este é um momento de uma oportunidade tremenda, assim como um momento de um imenso potencial para o controle. 

Uma das direções pode avançar a agenda porque as pessoas apenas acreditam na “história oficial” do dia 11 de Setembro sem questionar. Mas isto também é uma grande oportunidade para expor o que está acontecendo porque - e eu sei disso porque passei meses, e meses e mais meses investigando isso - a “história oficial” da tragédia do dia 11 de Setembro que está absolutamente crivada com informes absurdos impossíveis, e para desfazê-la não é difícil.

O difícil, logicamente, é conseguir introduzir informações novas na arena pública. E as pessoas mais se levantam e começam a ser contadas. Porque isto é interessante. 

Eu acho bastante irônico que, nesse país a [Inglaterra] e na América, as leis que têm sido trazidas como um resultado do “problema, reação, solução” do dia 11 de Setembro, começaram a afetar o jornalismo. E os jornalistas estão dizendo: “Bem, nós não podemos trabalhar, se tivermos que divulgar o nome de nossas fontes” e todo esse tipo de coisa. 

Realmente, os jornalistas também têm que começar a compreender que um estado fascista global não se aplica a todos os demais EXCETO PARA ELES E OS SEUS FILHOS! Ele se aplica, primeiramente e geralmente, para eles e os seus filhos, porque eles são aqueles que precisam ser controlados para o público receber a  “versão oficial” dos eventos que não está sendo questionada pelos jornalistas.  

Nós estamos encarando um ponto agora em que temos alguns anos - menos do que cinco, bem menos do que cinco - para descer a vereda para a liberdade, através do desmantelamento e exposição deste estado fascista global que está nascendo. Ou, nós podemos seguir o outro caminho e apenas sentar lá e aquiescer, e viver em uma versão global da Alemanha Nazista. 

Esse é o real grande momento de decisão para a humanidade, e eles podem somente tomar tal decisão de um modo equilibrado, se tiverem acesso à todas as informações, as quais eles não têm nesse momento. 

E esse é o motivo pelo qual eu escrevi o livro [e, é claro, porque A SPECTRUM existe!], para coligir as informações, então, tais pessoas podem contemplá-la entre dois disfarces, e perceber como a “história oficial” é uma tolice que até mesmo uma criança de 3 anos de idade poderia enxergar. 

Martin: Eu tenho observado que desde o dia 11 de Setembro parece haver um temor real entre os jornalistas. De novo, como eu disse antes, existe somente um punhado de jornalistas que têm a coragem de noticiar as coisas como elas são. Todos os demais estão vivendo nesse estado de temor que: “Se eu realmente divulgar a verdade, eu ou serei preso ou minha família será molestada; pois eu não ouso falar a verdade.”

E, como você disse, nós estamos em uma encruzilhada, onde se as pessoas não começarem a falar a verdade sem considerar o temor ou as conseqüências, tudo estará acabado.

 

Parte 1 - Parte 2 - Parte 3 - Parte 4 - Parte 5 - Parte 6

 

 

 

Menu de artigos da seção David Icke

Como Ser Uma Pessoa Programada

Sombras de Lama

Os Predadores e o Ponto de Aglutinação

O Que é a Matrix?

As Mensagens da Água

A Matriz Holográfica Reptiliana, a “Realidade” Fabricada

Seja um colaborador do site

Página Principal